Skip to content
8 de novembro de 2011 / marcellyga

paixão urbana

Só por ter sido gravado em Nova York eu já ia curtir esse clipe. Mas mais que isso, gostei da música, gostei da banda,  gostei que aparecem lugares que eu fui como o Grays Papaya e Williamsburgh, gostei do casalzinho e  da ideia de ser guiado pela paixão e pelo ritmo da cidade.

É algo que todo mundo deveria fazer. Se apaixonar e sair andando pela cidade sem rumo. Experimentar a liberdade de um vira-lata, dançar na rua enquanto o sol se põe e as luzes acendem na Times Square, ou na Paulista :)

A primeira vez que vi, gostei mas não entendi. Se aconteceu a mesma coisa com você, uma palavra resolve o problema: ESPELHO

20 de setembro de 2011 / marcellyga

O que é proibido é mais gostoso…

E é assim, quando eu tiro os 4 dentes do siso e passo 4 dias  entre líquidos, pastosos, gelados e mornos, não consigo parar de pensar em todas as coisas deliciosas, ou não, que comi em Nova Iorque. Pra passarem vontade comigo, check it out!

Acho que essa foi a minha melhor refeição da viagem. Dentro do estádio dos Yankees, tem uma tradicional lanchonete Nathan’s, que é originalmente de Coney Island, onde rolam aqueles concursos de quem come mais cachorros quentes. Olha, cachorro quente eu não sei, mas se fosse pra comer essa batata com queijo, eu ganhava! Coisa de Deus!

 

Lanche BLT de uma feira em Williamsburgh. Menos é mais: Bacon + Lettuce + Tomato.

 

Quando se trata de comida, o “menos é mais” não funciona comigo. No mesmo dia do BLT, ainda senti fome e o desejo por um hambúrguer me consumia! A salada saladinha bem temperadinha caiu muito bem! O restaurante tinha um ambiente de praia, areia no chão, pranchas de surf fincadas e eu ainda tomei uma taça de vinho branco :)

 

Numa tarde chuvosa de um passeio frustrado ao Brooklyn, foi esse Bagel que me salvou. O cheiro do lugar era sensacional, sentei num sofazinho e me senti como um dos FRIENDS. E desconfio que escolhi o melhor Bagel da casa: massa de passas e canela com recheio de cream cheese!

 

Tanto o ambiente do KFC como o seu frango não são muito apetitosos. E nem tão legal porque sozinha, eu não poderia pedir meu frango num balde. Mas como diz meu amigo Rodrigo Varanda: “frito, até pedra!”.

 

A salsicha do cahorro quente de lá é diferente, não é cozida. É tipo uma linguiça de churrasco do Brasil! Torradinha, muito boa! O cachorro quente do Gray’s Papaya é algo bem tradicional e que estava na minha lista para ser riscado. Ok, risquei. Mas o do carrinho em frente ao MET dá de 10X0!!!!!

 

Tão esperado Mc & Cheese! E as nada esperadas onion rings em cima. Fui com muita expectativa. Pra resumir, macarrão ao molho quatro queijos, seco.

 

Depois de uma semana sem comer um pedaço de carne nos Estados Unidos, sofria de um mau humor absurdo! Achei perto de casa esse restaurante onde todo mundo falava espanhol! Pude pedir minha carne + meus acompanhamentos como se estivesse em qualquer fastfood de praça de alimentação brasileira! Mas ainda acho que, no mínimo, a carne tinha que ser maior que o pão!

 

Muita massa, muito queijo e muito molho. E melhor saboreada no verdadeiro estilo nova iorquino: dobrada no meio e com as mãos!

 

Sexta-feira eu tirarei os pontos e juro que minha primeira parada será uma churrascaria!

13 de setembro de 2011 / marcellyga

O meu 11 de setembro

Sim, eu amo NY. Mas pra mim o dia 11 de setembro é o dia mais feliz que existe! Nada mais justo, é o meu aniversário! Pois é, em 2001 eu fazia 12 anos, meu dia estava radiante e eu era o centro das atenções – assim que eu gosto – até que começaram a rolar boatos pela escola: um meteoro, um ataque alienígena, um avião, dois aviões, o próximo já estava a caminho do Brasil, a terceira guerra mundial, o fim do mundo. Chorando, fui até o orelhão da escola e liguei pra minha mãe, que me acalmou dizendo que o que estava acontecendo era muuuuito longe do Brasil!

Longe, mas não o suficiente para que 10 anos depois eu fosse até lá e visse tudo com meus próprios olhos.

Fui ao Ground Zero logo no primeiro dia de viagem. Sinceramente, não gostei. Uma vibe ruim, muitos executivos apressados pela rua e nada mais que um canteiro de obras, onde já estão construindo o novo World Trade Center, com 5 torres.

bad vibes =/

No último fim de semana da viagem, eu fui à Estátua da Liberdade. Superdica: se você não tem O SONHO de ver a Estátua de perto e tem uma câmera com um bom zoom, não entre nos barquinhos de turista que te levam até lá. Vá andando pelo Battery Park e procure a Staten Island Ferry. É uma balsa que serve de transporte público para as pessoas que precisam fazer a travessia  Manhattan-Staten Island. Fique de olho nos horários das partidas, eu fui pegar um Pretzel com cheddar e perdi a balsa de volta para Manhatan, tive que esperar 30 minutos até a próxima.

Pelo menos estava gostoso!

Laranjão

Continuando… peguei a balsa de volta pra Manhattan e observando aquela paisagem tão familiar caiu a ficha de que as duas torres não estavam mais lá. Sentimento muito estranho. Eu não conseguia parar de imaginar dois aviões chegando do nada e o medo que as pessoas sentiam. E quem estava fazendo essa travessia na balsa como eu,  já pensou?

cadê?

Eu sei que vou passar todos os anos comemorando enquanto a mesma cena aparece na televisão e as pessoas vão sempre se espantar quando eu digo o dia do meu aniversário. Mas esse dia é MEU porque eu nasci primeiro e vai ser sempre feliz pra mim. Nova Iorque superou, isso é viver, é aprender, Hakuna Matata!

A liberdade iluminando o Mundo

15 de agosto de 2011 / marcellyga

Voltei, e agora?

Mudanças: fundamentais, inevitáveis e às vezes lamentáveis.

Triste quando a mudança é tão grande que faz sumir o que existiu um dia. Depois de um tempo você olha aquela pessoa que gostava tanto, carne e osso, na sua frente, e ela não está lá! É como se tivesse morrido, não existe mais!

Eu não tinha medo de mudar com a minha ida para Nova Iorque e acho que mudei um pouco, pra melhor, então vale! Agora, existe o medo de perder essa mudança voltando pra São Paulo. Tenho um pouco de síndrome de Peter Pan, não quero ser gente grande chata. Chegando aqui, seria fácil retomar a rotina “casa e trabalho” e deixar morrer aquela que fui durante os 13 dias de viagem.

Pra manter o espírito nova iorquino em mim pra sempre, nada melhor do que músicas! Músicas recuperam memórias e sentimentos. Por isso separei as que marcaram a viagem, por vários motivos. Vai daquela que tocou na sala de embarque do aeroporto à que foi escolhida no shuffle e me fez sair andando pela rua 34 como se fosse o John Travolta em Saturday Night Fever.

Will Smith – Gettin Jiggy With It

The Ting Tings – Shut and let me go

Adele – Rolling In The Deep

Florence and the Machine – Dog days are over

Miike Snow – Animal

Pitbull & Ne-Yo – Give everyting (Tonight)

Erasure –  A Little Respect (remix)

Estelle – Freak

Enrique Iglesias feat Ludacris – Tonight I’m F..king you

Cali Swag District – Teach me How to Dougie

Kris Allen – Live Like We’re Diying

Voltei mas Nova Iorque ainda está em mim. Tenho MUITAS histórias pra contar, coisas pra mostrar e pensar, por isso vou continuar com o blog, devaneando sobre NY, em São Paulo.

5 de agosto de 2011 / marcellyga

Animais

cavalos fedidos no Central Park

– MUITAS pombas nas praças, algumas atropeladas na rua

esquilos fofos pelas árvores!

– Se quiser fazer um passeio romântico à noite pela cidade, saiba que ratinhos estão passeando também

– Já os ratões, ficam nos trilhos no metrô

Cachorros lindos na calçada, parques e dentro de lojas

Pássaros lutam contra o vendo no Rio Hudson

– Esse bichinho estranho aparareceu ontem no metrô e causou! Se alguém souber  o que é, me conta por favor. Se bem que ele já foi pisoteado :(

3 de agosto de 2011 / marcellyga

Boa noite Nova Iorque

Antes de vir pra cá, planejando a viagem e escolhendo os lugares que iria visitar, eu sempre caía em um dilema: será que a vista é mais bonita de dia ou de noite? Durante o dia dá pra ver melhor o Central Park mas à noite a cidade fica toda iluminada. O que seria melhor?

Resolvi, então, admirar a vista da cidade no Top of the Rock ao entardecer. Assim eu poderia ver o dia, o pôr do sol e a noite. Aqui, no verão, escurece lá pra umas 8 da noite, o dia fica mais longo, eu adoro!

A fila do Top of the Rock assusta um pouco, mas é rapida. Não tão rápida quanto o elevador que sobee 70 andares em alguns segundos. Chegando lá em cima, dá até arrepio.

Central Park me encanta! Um parque gigante no meio da cidade

tão turista!

Pena que o sol não se põe atrás do Central Park. Urbanistas vacilaram!

muito podre esse negócio de olhar

A parte com luzes mais fortes do lado direito é a Times Square!

Muitos me disseram que a vista do Top of the Rock é a melhor da cidade, até melhor que a do Empire State, que é mais alto. Mas eu não posso voltar de NY sem ter ido ao Empire State! Fica aberto até às 2 AM, vou caprichar no  jantar e ir pra lá fazer curtiur minha digestão tomando um banho de lua!

1 de agosto de 2011 / marcellyga

Passeando por filmes e TV shows

Uma das coisas que fascinam em NY é reconhecer lugares, lembrar e imaginar os filmes e seriados que foram gravados ou ambientados aqui. Um nova iorquino que eu conheci no MET me disse que viu a primeira cena do filme Eu sou a Lenda, com Will Smith, sendo gravada. Um Mustang vermelho em alta velocidade por ruas desertas de Manhatan. AWESOME!

Da minha lista, já completei todos os lugares referentes a filmes e seriados. O Big Piano da FAO Schawrz, que eu mostrei no último post, aparece no filme Eu Quero Ser Grande, com Tom Hanks e no Esqueceram de Mim 2. E eu ri sozinha quando ouvi um cara na rua usando uma expressão que eu achava que só era usada em filmes: “those little bastards!”

Pra começar o tour, fui a Greenwich Village, onde os FRIENDS moravam, o bairro é muito fofo e ótimo pra caminhar tranquilamente e tirar fotos dos predinhos :)

                 Apartamento da Monica, esquina da Grove e Bedford streets. Pena que não existe o Central Perk pra tomar um café!

Mc Gee’s pub, inspiração para o Mc Laren’s de How I Met Your Mother. LEGENDARY!

Kat’z Delicatessen, na Houston Street, da famosa cena do orgasmo de Meg Ryan em When Harry met Sally.
Foi difícil de achar, o lugar é cheio e feio, tipo um restaurante de posto de estrada. Cheguei, pedi uma água, fui ao banheiro, tirei uma foto e fui embora. Turista way of life!

Magonlia Bakery, de Sex and the City, na Bleecker Street, uma das ruas mais legais! Eu não gosto de cupakes mas comi um, estava na lista.

Garotinhos fofos vendendo limonda na rua, isso eu não acreditava que realmente existia. Depois de horas andando e com o calor que estava, caiu muito bem!

%d blogueiros gostam disto: